O manejo de saúde dos gatos mais velhos começa com os cuidados básicos comuns aos gatos de todas as idades: controle parasitário, assistência odontológica, controle de peso e vacinação. Fatores estressantes como: falta de área adequada para alimentação, excreção e repouso, presença de visitas, mudanças na rotina e conflito com outros gatos, podem induzir a sinais físicos de doença em gatos saudáveis.

Entre os problemas comportamentais em animais idosos estão a interação prejudicada, agressividade, irritabilidade, ansiedade, alterações na atividade (como vaguear), alteração de padrão de sono, diminuição da autolimpeza, aumento da vocalização, controle inadequado de necessidades fisiológicas e sinais dor como: dificuldade em pular ou subir e descer escadas, devido a artrite e diminuição da massa e tônus muscular. Diminuição do apetite, peso e condição corporal, podem ser devido a diminuição do olfato ou paladar ou presença de doenças dentárias como periodontite, gengivite e estomatite.

Ingestão de alimentos

É importante se atentar à ingestão de líquidos através de alimentos úmidos, colocando vários potes de água em diferentes locais da casa, diminuindo assim as chances de constipação, desidratação e insuficiência renal crônica, que é a segunda principal causa de morte e ocorre mais comumente em gatos maiores de 10 anos de idade. Oferecer uma dieta palatável, com uma nutrição completa e equilibrada, rica em nutrientes antioxidantes, irá ajudar a retardar alguns danos causados pelo envelhecimento e manter o sistema imunológico, o peso corporal ideal, pele e pelagem saudáveis.

Ambiente

O estímulo ambiental, com brinquedos, companhia, interação e jogos de caça, pode levar a um aumento das sinapses neuronais. Acredita-se que a combinação de estimulação ambiental e uma dieta enriquecida com antioxidantes atuam juntamente na melhoria da função cognitiva.

Os gatos idosos ficam muito estressados e lidam muito mal com as mudanças na sua rotina e sempre que possível, a mudança deve ser mantida ao mínimo e, quando não puder ser evitada, deve ser feita com lentidão e tranquilidade. 

Facilitar o acesso à água, à alimentação e às caixas de areia; manter sua rotina de sono, descanso, comer, beber, urinar, defecar, brincar e se socializar, fornecer um ambiente tranquilo e seguro além de aumentar a frequência de visitas ao veterinário para pelo a cada 6 meses, mesmo estando aparentemente saudável, são medidas que com certeza ajudarão na qualidade de vida do seu gatinho para que ele possa viver uma velhice tranqüila recebendo atenção e carinho como ele gosta.

Animais idosos, mesmo quando em terapia para qualquer doenças, merecem e devem ter qualidade de vida e bem estar!

Leticia Gershenson

Médica Veterinária

CRMV 6279

Compartilhe nas redes sociais @tiochico.vet

O que você achou desse artigo? Comente abaixo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.