Em dias de altas temperaturas devemos tomar alguns cuidados para amenizar essa sensação aos pets e evitar contratempos ocasionados pela hipertermia provocada, já que eles não têm a capacidade de transpirar como nós humanos. Cães e gatos têm algumas glândulas sudoríparas nos coxins, (almofadinha dos pés), mas essas não são suficientes para dissipar o calor, principalmente em dias muito quentes.

Nos pets quando a temperatura corporal sobe demais eles ativam um mecanismo fisiológico na tentativa de resfriar o corpo, esse mecanismo nada mais é estar de língua de fora, ou seja, estar “ofegante”, porém se não ajudarmos com aporte de água e ambiente fresco o pet pode entrar em agonia respiratória, o que pode levar ao óbito rapidamente. Alguns sintomas da hipertermia além de respiração ofegante acima do normal são hipersalivação, o coração acelera e o pet fica indisposto e cansado, e ao extremo pode ocorrer vômito, diarréia, edema pulmonar e parada cardíaca, podendo se tornar irreversível. Raças braquicefálicas, pets de focinho curto, sofrem mais com as altas temperaturas e os cuidados com eles devem ser redobrados.

Devemos evitar os passeios nos períodos mais quentes do dia, além do desconforto de se exercitar em altas temperaturas, podem ocasionar sérias queimaduras nas patinhas. Também devemos nos preocupar com a exposição prolongada do pet ao sol, pois há o risco de câncer de pele,em especial aquelas pets com pelagem mais clara ou animais com falhas na pelagem.

Citar parasitas é de extrema importância, pulgas e carrapatos trazem desconforto o ano inteiro, mas no verão com alta temperatura e umidade, torna-se um ambiente propício para infestação. Devemos lembrar que não é apenas o desconforto da picada e sim que esses parasitas causam doenças aos pets e a nós também. A necessidade de optar por produtos de eficácia duradoura é indispensável, além de tratar o pet, o controle desses parasitas no ambiente também é necessário.

As tosas podem ser consideradas nessa época mais quente. Mas lembre-se que a pelagem acaba sendo um aliado na proteção da pele do seu pet e cortar ela muito curta acaba prejudicando essa proteção. Talvez tosar seu pet não seja a melhor alternativa, no entanto, hoje temos a opção de remoção do sub-pelo que pode ser uma ótima alternativa, além da tosa higiênica.

Em dias muito quentes forneça água limpa e em abundância, podem ser colocadas pedras de gelo nos bebedouros para manter a água fresca por mais tempo. Deixe seu pet em ambiente arejado e com piso frio. Se for levar ele para passear não deixe ele se exercitar em excesso e evite o horário das 10 às 16 horas, lembre-se se você não aguenta o calor do piso, esse para o pet também, será desconfortável. Use protetor solar de formulação específica para cães e gatos, principalmente em animais albinos, pele clara e regiões com pouco pêlo como orelhas, ao redor do focinho e abdômen.

Mantenha sempre em dia a proteção contra pulgas e carrapatos e outros insetos como mosquitos que nessa época também causam incômodos aos pets, além da possibilidade de trazer doenças. Consulte um veterinário de sua confiança a respeito de tosa em seu pet e se realmente se faz necessário, nunca o deixe dentro do carro aguardando seu retorno. Cuide do seu amigo de quatro patas e se precisar o Tio Chico estará de braços abertos para ajudar!

Neirane Martins Flores Dias

Médica Veterinária, clínica e cirurgia de pequenos animais

CRMV/RS 18955

1 Comment

  1. Pingback: Estou grávida: preciso me desfazer do meu gato? Toxoplasmose

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.